7 dicas simples para ensinar educação financeira para crianças e jovens

Dinheiro é um negócio sério, mas quem disse que é apenas para adultos? Mais e mais pessoas estão falando sobre a importância da educação financeira para crianças e jovens, tornando-os adultos financeiramente responsáveis, bons poupadores e investidores.

Descubra como aprender a importância das finanças e do orçamento familiar desde tenra idade com estas dicas:

1. Fale sobre dinheiro

Se você acha que seus filhos são pequenos demais para falar sobre dinheiro, lembre-se de que quanto mais cedo você enfrentar esse problema, maior a probabilidade de desenvolver um relacionamento mais equilibrado com consumo e dinheiro. Obviamente, não é necessário compartilhar muitos detalhes além da curiosidade, mas é possível tirar proveito das situações cotidianas para aprender dinheiro, como uma caminhada pelo shopping ou uma caminhada no supermercado.

Veja também: 5 Princípios da educação financeira

2. Comece com um cofrinho

Uma maneira de introduzir conceitos financeiros cedo é usar o bom e velho mealheiro, uma experiência que mistura disciplina e planejamento para alcançar o que você deseja. Com esta ferramenta simples, você pode explicar o valor das moedas, o que economiza e como economizar dinheiro para conseguir algo no futuro.

3. Ensine o básico
Cuidado com os pagamentos com cartão

É importante aprender a diferença entre o que é essencial e o que é supérfluo. Quando as crianças pedem para comprar algo, o adulto deve conversar e explicar a diferença entre querer e precisar. Para os idosos, é um bom momento para conversar sobre como se comportar com o primeiro salário e mostrar que cuidar da educação econômica hoje significa garantir uma vida mais próspera amanhã.

4. Diga NÃO quando tiver que dizer

Estabelecer limites para as crianças é importante. Se você der tudo o que pede, quando for necessário negar algo, por qualquer motivo, eles não serão capazes de lidar com a frustração de maneira saudável.

Veja também: 4 Maneiras de ganhar dinheiro rapidamente

5. Incentivar a doação

Ser rico também é dar e não colecionar coisas. Reserve um tempo para separar todos os brinquedos, roupas e livros que não são mais usados ​​com a criança ou jovem e incentivar a doação. Você pode adquirir o hábito de incentivar o consumo sustentável desde tenra idade.

6. Incentivar a gestão financeira

Desde a idade escolar, as crianças começam a entender o valor das notas e moedas. Nesse ponto, é saudável iniciar uma remuneração e abrir espaço para que ela tome decisões com o dinheiro recebido. A partir dos 16 anos, é possível abrir uma conta bancária em nome do seu filho, um passo importante para a independência financeira. Se mudar o salário para o estágio, o primeiro emprego ou o subsídio, ter sua própria conta bancária exige responsabilidade, maturidade e organização e o preparará para gerenciar um saldo maior quando for mais velho.

7. Seja o exemplo

Crianças e jovens aprendem muito mais fazendo do que conversando. Então comece com você mesmo e considere seu relacionamento com dinheiro. Você foi consistente entre o que diz e o que faz? Uma das melhores ações que você pode tomar é envolver toda a família, inclusive crianças, no desenvolvimento do orçamento familiar. Assim, eles aprendem que economizar é da conta de todos.
AbrirFecharComentários